Por momentos, aqueles anos em que riscava o chão, com traços grosseiros de giz, sete quadrados, um tanto ou quanto desproporcionais uns aos outros, irrompem a minha mente. Em dias de chuva, é como se inevitável fosse. Imagino o solo do pátio da escola primária, todo lamacento, onde fazíamos uma covinha e jogávamos ao berlinde. Quando chega a altura do S. Martinho, lembro-me que saltava a fogueira e queimava as roupas. Recordo-me de comer as castanhas, de beber o sumo. Era doida por aqueles frutos especiais, acabados de sair do lume. Levava sempre um cartucho de papel para casa. Com a chegada do Verão, do calor, recordo como, para nós, era tão tentador subir aos locais mais perigosos, sem nunca concluir que podíamos cair dali. Passávamos o recreio todo a brincar às escondidas e à apanhada. Não consigo esquecer o quão frágil era. A única funcionária da escola, a dona Palmira, tinha de me sentar no colo dela e obrigar-me a comer o pão com Tulicreme, que a minha mãe me mandava, porque a vontade de brincar era maior. Esquecia tudo o resto. Penso em tudo o que aprendi. Nos pequenos, grandes, amigos que fiz. A maioria nunca mais vi, outros permanecem até hoje. Do nada, aparece tudo à minha frente e sorrio. Fui tão feliz ali.

Comentários

  1. As memórias da infância são quase sempre as ,ais felizes da nossa vida. Mesmo quando outras também felizes da idade adulta se sobrepõem, a infância tem sempre um encanto especial
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Memórias doces de uma infância feliz, diria eu.

    ResponderEliminar
  3. Tão familiar, Minha Querida Conterrânea :)

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Diana
    Assim me levaste também ao meu tempo de meninice. Adorei este teu relato. Obrigada por partilhares connosco,

    No nosso blogue, por lapso meu, saíram dois temas, caso pretenda ler os dois. Pedimos desculpas.

    Bjos
    Boa Quarta-feira

    ResponderEliminar
  5. Belas recordações, no fundo a vida é feita delas e esperemos que sejam sempre boas, embora nem sempre o sejam...
    Bj

    ResponderEliminar
  6. E neste teu texto recordei tanta coisa da minha meninice e adolescência. Era tudo tão diferente. Que saudades. Amei o teu texto. ;-)


    Beijinhos e um dia feliz.

    ResponderEliminar
  7. Várias das minhas memórias de infância coincidem com as tuas! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  8. Adorei conhecer um pedacinho da menina sapeca. Eu era sapeca e gulosa.
    As brincadeiras é que eram diferentes
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  9. Viajei no tempo e revi-me neste excelente post.
    Grato pela partilha.
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  10. Que lindo,Diana.

    Lembranças da infância sempre nos marcam para sempre.

    Obrigada pela visita e,se gostou de meu espaço,siga_me.

    Volte mais vezes!

    Beijos sabor carinho e uma noite de paz profunda

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderEliminar
  11. Tem momentos que nunca vamos esquecer, as lembranças sempre volta, lendo o seu texto me lembei da minha infância feliz que tive, Diana bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  12. Que texto mais lindo
    fez-me recordar algumas coisas
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  13. As nossas memorias de infância são tão boas
    https://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  14. A saudade desse tempo, lembra-nos uma infância feliz e despreocupada.

    ResponderEliminar
  15. E ainda bem que a deixam bem feliz!!!
    Eu tenho lembranças excelentes dos magustos que fiz com os meus alunos mas ... há 39 anos perdi uma bebé por isso atualmente na reforma não ligo à data!!!

    ResponderEliminar
  16. Um texto muito interessante de ler. Gostei verdadeiramente
    .
    Deixo um abraço amigo

    ResponderEliminar
  17. um texto muito bonito das recordações da infância!
    também me lembro da grande vontade de brincar com os outros meninos e meninas que sentia durante os dias por vezes solitários
    e quando brincava, era uma tragédia ter de interromper as brincadeiras e ir para casa porque a mãe estava a chamar !
    beijinhos Diana
    Angela

    ResponderEliminar
  18. Neste lindo texto recordei a minha infância, com os meus irmãos ,as nossas brincadeiras, éramos tão felizes!...

    ResponderEliminar
  19. Que nostalgia que senti ao ler as tuas palavras. Tempos tão bons, tempos que já não voltam e muitas pessoas que continuam ao nosso lado. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  20. E de repente voltei à infância e não é que fiquei feliz. Sei que o tempo não volta para trás, mas é bom guardar certas memórias de um passado bonito.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  21. Que lindas essas memórias! Dessas, da primária, já pouco me lembro, mas acho que a funcionária também era a D. Palmira!!!

    ResponderEliminar
  22. Tenho tantas saudades da infância, éramos tão felizes!

    https://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
  23. E neste teu texto recordei tanta coisa. Era tudo tão diferente.
    Que saudades. Amei o teu texto.


    Beijinhos!
    https://glamour-02.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  24. Por sermos de uma zona tão próxima, tudo o que relataste aconteceu comigo, no São Martinho além da fogueira e das castanhas, depois enfarruscávamos a cara e andávamos a trás uns dos outros para enfarruscar os outros. =)

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar
  25. São os momentos de felicidade aqueles que mais gostamos de recordar.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. Agora fizeste-me viajar no tempo, com o teu belíssimo texto!...
    Fico a aguardar com expectativa, o desenrolar da história...
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  27. Acreditas que não trouxe nada, para os dias de hoje, dessa altura?

    Beijocas

    ResponderEliminar
  28. Nossa, lendo teu texto me bateu uma saudade da época de colégio... a gente era feliz e não sabia. Que pena não poder voltar no tempo.

    Beijo !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | O Blog Que Não é Blog - Instagram |

    | Cores das Amigas - Instagram |

    ResponderEliminar
  29. "Oh! que saudades que tenho
    Da aurora da minha vida,
    Da minha infância querida
    Que os anos não trazem mais!
    Que amor, que sonhos, que flores,
    Naquelas tardes fagueiras
    À sombra das bananeiras,
    Debaixo dos laranjais!" (...)

    Fragmento do belo poema de Casimiro de Abreu. Diz mais que qualquer palavra minha.
    O seu texto tem uma cadência, um ritmo insinuantes...
    Beijo,

    ResponderEliminar
  30. Algumas coisas que escreveste, lembram-me a minha infância! Quanto às castanhas assadas, sempre adorei o cheirinho, cheiravam a Outono, mas comê-las, já não sou grande fã.
    :)

    ResponderEliminar
  31. Lembranças são a felicidade que não passou.

    :)

    ResponderEliminar
  32. Que belas recordações! Fizeste-me recuar muitos anos, até à minha infância.

    ResponderEliminar
  33. É tão bom ser criança... essas memórias deixam-me sempre nostálgica :)

    ResponderEliminar
  34. momentos lindos!
    beijinhos
    https://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  35. É sempre bom recordar preciosos momentos de infância!
    Boa semana,
    Beijos

    ResponderEliminar
  36. Recordar é viver. Quando sentimos saudades de algo do passado é porque foi realmente bom! Gostei muito do texto!
    Beijinho, Ana Rita*
    BLOG: https://hannamargherita.blogspot.com/ || INSTAGRAM: @rititipi || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

    ResponderEliminar
  37. Ao ler esse texto tão lindo,lembro do meu tempo de criança,tão inocente em que tudo era tão puro.
    Adorei o blog e já estou seguindo.
    Bjs Diana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  38. Que texto tão interessante.
    Eu gosto muito de recordar a minha infância. E por vezes basta um aroma para me levar até memórias felizes que quando era criança. Felizmente tenho muito boas coisas para recordar. Que saudades desse tempo... :)
    Beijinhos
    Cláudia

    ResponderEliminar
  39. Que nostalgia. As memórias da infância 🖤

    ResponderEliminar

Enviar um comentário