Mensagens

Quem sou eu? Apeteceu-me divagar nesta região do meu pensamento tão vasta. Obter a resposta torna-se bem mais duro do que imaginava. Que espécie de ser sou eu? Na realidade, por mais que tente percorrer as fases desta descoberta, a resposta é sempre nula ou muito pouco objectiva. A verdadeira resposta esconde-se de mim e teima em não surgir. Provavelmente já se mostrou a algumas pessoas. Quando conseguirei saber quem sou eu na totalidade? Nunca? Na verdade, pouco me importa. O que sou, mesmo não sabendo o que é, não me envergonha, não me desilude, cativa aqueles que tem de cativar. E, isso é o que mais me agrada.

DressLily | Review

Imagem
Estou de volta. Tiveram saudades minhas? Sim, sim? Hoje, vou falar-vos um pouco sobre a minha nova colaboração com a loja on-line DressLily. Como de costume, um pouco a medo por causa dos tamanhos, resolvi pedir uma camisa aos quadrados, preta e branca, porque adoro camisas e não tinha nenhuma assim. Devo dizer que o tecido é um bocadinho estirado mas já usei e gostei imenso. Fiquei de pé atrás mas, vestida, fica muito bem. Costumo ter chatices com o tamanho das mangas mas serve na perfeição.

Quem não gosta de proteger o seu telemóvel, ao mesmo tempo que o torna mais bonito? O meu calhambeque é um Huawei P8 Lite 2017, em dourado, e decidi acompanhar a cor através de uma capa com um padrão muito giro. Garanto-vos, a qualidade não fica nada atrás das capas que compramos em lojas de shopping. E o preço nem se compara. Adorei e já estou a usar diariamente, claro.

Os óculos de sol, na minha vida, são um caso complicado. Actualmente, só tenho um par da Hawkers, que amo. Mas o modelo é mais…

Clara | Capítulo 4

Clara era negra. Já tinha passado por muitas situações de preconceito mas ser afastada da pessoa que mais amou na vida, foi brutal. Ela e Santiago viveram uma bonita, e conturbada, história de amor mas o Dr. Melo sempre fez tudo para os separar. Não aceitava que a adolescente fizesse parte do seu círculo mais próximo e nunca sequer a olhou nos olhos. Como podia tê-la tratado tão bem? E oferecido, não só o dinheiro, como uma possível ajuda no futuro? O que mudou, tão radicalmente? Que reviravolta era aquela? A mulher formou-se em direito. E, resolveu usar os seus conhecimentos para perceber qual era a situação atual da família. O que descobriu foi chocante. Um problema gravíssimo assolava aquelas pessoas. Não sabia o que fazer a seguir. Mas queria ajudar.

Chiado Grupo Editorial | Não Era Suposto

Imagem
Pois, mais uma ausência de duas semanas. Não me batam, por favor. É por uma boa causa. Ou melhor, duas. Com o trabalho e o ginásio, o tempo está escasso. Claro, e o cansaço é algum. Mas, eu vou tentando. Bem, passemos ao que realmente interessa. Confesso que "conheci" a Inês Alegre através do seu Instagram. Algures, nas sugestões, lá estavam aquelas publicações  divertidas, com conversas que tinha com a mãe e o pai por SMS. Inicialmente, foi o que me motivou a ler este livro, assim como a sinopse que interpretei. Fiquei cheia de curiosidade e decidi lê-lo, sem demoras. Apesar de ser sobre uma história de amor impossível, gostei muito da composição. A maneira de escrever desta jovem é intensa. Volumosa. A obra descreve uma paixão verdadeira e muito marcante. Mas que, devido às vicissitudes da vida, está mais vezes longe do que perto. Quando o medo de amar consome a alma das pessoas, os seres afastam-se e, como diz o livro, não é suposto. Não vou desvendar mais. Leiam. Aconse…
O meu coração quer percorrer a plenitude da verdade. Posso ser igual a mim ou desistir de ser assim. Quero traçar ser alguém, ser mais para mim. Ser composto de corpo e alma; sintetizando em si o valor e a máxima elevação da descoberta. Inclino-me mas sigo sempre o caminho que me leva a enfrentar o desafio. Adiro a cada combate e partilho o sonho, aceitando a aventura e defendendo cada promessa. A semelhança entre a lua e o sol é ténue, revejo todas as estrelas e astros no espelho daquele quarto escuro. Viver é sentir o bater do sol no meu rosto, do vento que vem à noite e me faz saborear a imensidão de uma estrada no mar. Quero ser um instrumento de luz onde houver trevas, fazer sarar as feridas libertando todo o ser da minha existência. Aquelas grades que calavam a vida, feitas de tédio e medo, caíram para sempre. Assim, sonho em conquistar uma essência bela, justa e sábia.

Chá Para Dois | Jardins De Afrodite

Imagem
Ela é uma das pessoas que conheço há mais tempo na blogosfera. Mesmo quando mudava de endereço, ela estava sempre lá. Um dos seres que mais gosto por aqui. Das mais amorosas e carinhosas. Por tudo isso, esta foi uma das entrevistas que mais amei. Porque as respostas são extraordinárias e, absolutamente, acertadas. Por me inspirarem e fazerem acreditar num mundo melhor. Uma jovem de 51 anos, professora de matemática e, extremamente, simpática. Apresento-vos a Afrodite, autora do blogue Jardins De Afrodite. Não conheciam? Corram até lá e desfrutem de um espaço atraente e, surpreendentemente, chamativo e formidável.
D.: Para ti, chá de... A.: Rooibos Vermelhos.
D.: Qual é o teu blogue? A.: O nome do meu blogue principal é Jardins De Afrodite (tenho também o Smooth Latitude, que é um blogue de música e já tive outros blogues, mas isso fica para outra conversa). Trata-se de um projeto que já tenho há mais de cinco anos e costumo dizer que é a menina dos meus olhos. O nome surgiu-me como algo…

Clara | Capítulo 3

Apesar da calma que a mulher vivia atualmente, nem sempre foi assim. Outrora, a sua existência passou pela maior tempestade de sempre. Era apaixonada por Santiago. Um homem que pertencia a uma família abastada. Mas ela via para além disso. Aprendeu a dar valor ao carácter das pessoas e ele era maravilhoso. Visceralmente. Nunca quis saber do seu dinheiro nem aceitava nada que ele lhe pudesse oferecer. O que os unia era idílico. Simplesmente, mágico. Até hoje, ela pensa nele. E o seu sorriso surge, de imediato. O coração fica apertado. O que os separou foi muito mais forte. Gravíssimo. Esta situação trouxe tudo à tona, novamente. Porquê agora? Dez anos mais tarde, uma das fases mais felizes, e ao mesmo tempo, mais dolorosas voltou a surgir. Ainda custava. Magoava até ao mais ínfimo do seu ser. O pai do rapaz não a reconheceu. Só pode. E como poderia tratá-la desta maneira, mesmo sem perceber quem era? Impossível. Era surreal demais para ser verdade. Não conseguia deixar de pensar no su…