quinta-feira, 16 de março de 2017

Em 1989 nascia uma miúda, de olhos azuis e caracóis loiros. Era um ser frágil mas toda a protecção que lhe era dada pelos pais, fazia dela um ser forte. Visto que os seus dois primeiros filhos eram rapazes, ela era a menina do papá. A dedicação, o carinho, a alegria, o orgulho e o amor reinavam nos olhos daquele homem. Chega o ano de 1992, a criança tinha dois anos e quatro meses. Dias escuros invadem a vida daquele anjinho; o pai partiu para sempre. Leucemia; maldita. Odeio-te. Sim, Domingo é o Dia Do Pai. Para mim, sempre foi um dia diferente do habitual. Nunca comprei um presente, nunca organizei um almoço; nunca pude. Mas, na escola primária, era obrigada a fazer os presentes típicos para entregar ao nosso progenitor. Detestava. Não tinha a quem os dar; ficava triste. Guardava; vou guardar sempre. Faz parte de mim; da minha história. Este é um deles; uma escova decorada. Faço contas aos anos que já passaram e só consigo dizer que o resultado são anos a mais. Não sei dizer se o que sinto são saudades porque não me lembro dele; e isso dói muito. Nunca chamei pai a ninguém. Essa palavra nunca fez parte do meu vocabulário diário. Estranho, não é? Quem me dera entender o que sinto em relação à falta que ele me faz. São tantos beijinhos em atraso.

47 comentários :

  1. Como sabes a dor da perda de um pai também faz parte da minha vida. Infelizmente. Mas não imagino a dor que deve ter sido para ti ter de agir como se o teu pai estivesse presente. Sabes, mas onde quer que ele esteja, estará feliz certamente por perceber que fizeste todos esses presentes e os guardaste ao longo destes anos. Beijinho grande

    ResponderEliminar
  2. Não imagina o quanto lamento a sua dor.
    E posso-lhe garantir que o amor de um pai por uma filha é algo único.
    Tenho duas filhas e nem passa pela cabeça (sobre)viver sem elas ao meu lado e eu ao lado delas.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Nesse dia, Dia do Pai, lembro-me sempre da minha Mãe... porque me criou, educou, amou e esteve sempre presente.
    O meu pai abandonou-me (abandonou-nos) tinha eu 3 anos... foram anos muito difíceis, mesmo muito.
    Anos mais tarde ele apareceu, voltou de novo... já eu era um "homenzinho", trabalhava e estava prestes a casar, quando o relacionamento e aproximação aconteceu.
    Mas nada mais que isso.
    No dia do Pai lembro-me da minha Mãe, sempre!
    Todos nós temos as nossas histórias, as nossas dores...
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente, também nunca cheguei a ter a oportunidade de organizar um jantar com ele... nem de partilhar uma garrafa de vinho, sequer...

    ResponderEliminar
  5. Porque há momentos em que as palavras não servem de consolo, deixo um forte abraço.

    ResponderEliminar
  6. Pois
    e com tristeza deixo o desejo de um dia Feliz
    assim como um dia do Pai
    junto d´Aquela que o substituiu
    Beijinhos a Ambas.

    ResponderEliminar
  7. A falta de sensibilidade de educadores de infância e professores nestas datas é extraordinária. Não ser capaz de arranjar atividades alternativas para situações como a tua... não percebo!
    Em todo o caso, acho lindo teres guardado essas coisas! É como dizes: fazem parte da tua história.
    Lamento a tua perda tão precoce.

    ResponderEliminar
  8. :( Lamento imenso.
    A saudade é mesmo tramada, e não imagino realmente teres que fazer todos esses trabalhos sem os poderes entregar.
    Tens uma estrelinha no céu a olhar para ti.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. Bom dia Diana
    Triste texto! Um desabafo saído da alma. Também não tenho as melhores recordações do meu. A Vida corre. Muita força para este dia difícil para ti.

    Beijinhos
    ."" Ps: Gostava que visitasse este blogue de uma amiga, ele que ainda é bebé mas é simples e humilde-
    http://emsimplespalavrasl.blogspot.com/ ""

    Obrigada

    ResponderEliminar
  10. Não é fácil acrescentar palavras que de certa forma compensem essa ausência, acho mesmo impossível!
    Ainda assim, acho muito bem teres guardado. Ele está no teu coração sempre!
    Eu também já não tenho, já lá vão 10 anos de imensa saudade...
    Beijinho Di

    ResponderEliminar
  11. Muito triste não teres tido a oportunidade de abraçares o teu pai muitas e muitas mais vezes. Perdi o meu pai em plena adolescência por um cancro no pulmão. Tanta coisa mudou desde esse dia e tantas outras ficaram por falar. Diria amo-te muito, vezes sem conta! beijinhos querida
    Coco and Jeans by Marisa x My Instagram x My Bloglovin

    ResponderEliminar
  12. que presente tão bonito :)

    R. Os pijamas de lá são mesmo uma perdição eheh

    ResponderEliminar
  13. Love this so much!


    ** Join Love, Beauty Bloggers on facebook. A place for beauty and fashion bloggers from all over the world to promote their latest posts!


    BEAUTYEDITER.COM

    ResponderEliminar
  14. Nossa amôura... chorei com esse teu post.

    Primeiro pela tua historia com teu pai, e depois pq também já dei uma escova exatamente igual a essa ao meu, quando eu era pequena. E, por fim, pq ele se foi também ha 6 anos atrás.

    Teu post e essa foto me levaram a uma época onde eu ainda o tinha e depois à dor da perda.

    Que nossos paizinhos estejam bem onde estiverem. E que saibamos seguir a vida sem a presença deles nela :(

    Beijo.

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Julinha e os Vídeos - Canal do Youtube |

    | Cadastre-se no Clixsense e Ganhe por Clicar em Links |

    ResponderEliminar
  15. Minha linda só os duas: eu tb nunca chamei pai a ninguém. Embora tivesse mas não vivia com ele. A minha mãe separou-se quando eu nasci. Imaginas!?
    E passei pelo mesmo na escola até que preferia dizer que tinha morrido.
    Eu tenho quase 62 anos...Imaginas o que é não ter pai nessa altura? Imaginas a sociedade?
    Bom, deixo-o com um kisssssss
    :=}

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde, compensar a perca do pai é impossível, única coisa a fazer é ao longo do tempo tentar diminuir a magoa que permanece dentre do seu coração, saber também, que não comandamos a vida.
    AG

    ResponderEliminar
  17. Os meus sentimentos minha querida! Muita força :) x

    E. ♥ Meet me for Breakfast

    ResponderEliminar
  18. Olivia um pai faz muita falta, perdi o meu pai há 14 anos atrás, mas em quanto ele era vivo fui feliz com ele pois ele me deu amor, ele foi um pai maravilhoso, e hoje sinto muito saudades dele, quando chega o dia dos pais a saudade aumenta. Olivia não posso nem imaginar a dor que vc tem de não ter conhecido o seu pai, mas vc pode ter certeza que ele te amou muito, Olivia bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  19. É uma situação triste. Mas o teu sentimento é bem bonito.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  20. Imagino que seja uma dor terrivel, principalmente quando se vê as crianças a festejar o presente que vão dar ao pai e outras sem ter a quem o dar. :(
    Beijos

    ResponderEliminar
  21. É muito triste crescer sem um pai, fico de coração apertado só de pensar, não imagino a minha vida sem o meu... Beijinho grande.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  22. Aqui te deixo um beijinho...e um abraço...:)

    ResponderEliminar
  23. É sempre um buraco, que fica dentro de nós, com a perda de alguém... por mais que tenha passado muito tempo...:(
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  24. Fiquei de coração apertado ao ler! Custa sempre, até porque não conseguimos evitar imaginar como seria o percurso se tudo tivesse acontecido de outra forma. Força!

    ResponderEliminar
  25. Lamento muito, porque certamente foi um vazio que se alojou no teu coração.

    ResponderEliminar
  26. Oh :( lamento muito! Nenhuma criança devia ser obrigada a fazer essas coisas nesses dias em circunstâncias dessas. Que crueldade... Deve ser uma dor difícil de gerir :( um beijinho grande!

    ResponderEliminar
  27. Quem me dera entender o que sinto em relação à falta que ele me faz". Ler-te fez-me lembrar-me. E depois de uma mistura de sentimentos posso dizer-te da saudade que tinha de encontrar alguém com a mesma saudade que eu e ainda por cima por entre as letras.
    A saudade e o inexplicável andarão sempre de mão dada no que somos quando vivemos isso. Os beijinhos que deveriam te ter sido dados de certeza que a triplicar seriam e são sem o saberes. Que aguentes sempre passar os momentos e as memórias. Somos fortes todos os dias depois de aguentar um bocadinho mais. Sê feliz, e um dia deposita o amor que tens guardado nele a alguém. Gostei muito de te ler.

    ResponderEliminar
  28. Li o texto com lágrimas nos olhos! Um grande, grande beijinho!!

    ResponderEliminar
  29. como te entendo...
    melhor te entendo em parte... felizmente nunca perdi um pai..
    mas qdo era pequena os meus pais deixaram me com os meus avos e foram para outro pais trabalhar... e na epoca das festas era horrivel ver tdas as crianças com os pais e eu ali sozinha... ou tds a contarem como os pais gostaram as recordaçoes e eu ali escondida... porque apesar de ter pais eles nao estavam comigo... logo percebo-te em parte...
    nao conto isto para teres pena.. conto isto para saberes que nao estas sozinha no mundo (este tipo de situaçao)...
    coragem linda!! estas tristezas apesar de te magoarem tornaram te mais forte!!
    bjinhos!!

    ResponderEliminar
  30. Apesar do meu ter partido recentemente, sinto-me uma sortuda, mesmo perante toda esta tristeza. Vinte e oito anos da minha vida partilhei com ele.
    Lamento que, no teu caso tenha sido tão precoce. Mas, tenho certeza que um dia vais encontrar a explicação para tudo isso. Vais entender o que sentes.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  31. Bem sei como isso é... Também tenho uma história parecida e sei bem o que é crescer sem pai :( Eu dava os presentes que fazia ao meu avô materno :)
    beijinhos
    https://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  32. Compreendo em parte o que possas estar a sentir, Diana!
    Também perdi o meu aos 12 anos!
    Apesar de tudo... desejo-te um bom fim de semana, na medida do possível!
    Esteja onde estiver, ele estará a olhar por ti...
    Beijinho!
    Ana

    ResponderEliminar
  33. Nunca estamos prontas para estas partidas
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  34. Embora o meu pai ainda esteja vivo, durante mais de uma década não o tive presente, por ele ser emigrante. Um grande beijinho de força!

    Beijinhos,
    Joana Freitas

    ResponderEliminar
  35. Sem palavras para descrever como este teu texto é maravilhoso e cheio de sentimento.
    Não deve ser fácil e criança nenhuma devia ver um pai ou uma mãe partir tão cedo.

    Beijinhos
    http://aestilografa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  36. Boa e feliz Semana Bonita

    Joca de aqui dos Calhaus

    ResponderEliminar
  37. Diana, deixaste-me com um nó na garganta.
    Imagino as lágrimas que derramaste por cada palavra que escreveste.
    Emocionada, mando-te um abraço apertado.
    Força, linda!

    ResponderEliminar
  38. Infelizmente não és a única a sentir isso!!!
    bj e se puderes passa por aqui:
    http://asarteiricesdagracinha.blogspot.pt/2017/03/duas-carteiras-numa-so.html

    ResponderEliminar